Get Adobe Flash player

Preço do pescado

Previsão de tempo

Tempo e mar

Fonte: EPAGRI


MAR AGITADO E VENTOS FORTES

Chuí a Laguna

Sexta-feira, ventos de S a SW, força 3 a 5 e rajadas de 60 a 80 km/h. Ondas de S a SE de 2.0 a 2.5 m e picos de 3.0 a 4.0 m. Mar muito agitado e totalmente desaconselhável a navegação de pequenas e médias embarcações.. Para saber mais clique aqui.

Dicas de consumo

Tainha assada à portuguesa do Chef Fabiano Caldeira, Praia do Rosa

Apesar de todo mundo adorar um salmão, raríssimos são aqueles que já viram este peixe com vida, e sabe-se lá por onde andou e o que comeu antes de chegar ao Brasil. Já as tainhas são sinceras, não escondem a sua origem, são o peixe fresco por excelência. Apesar de pouco apreciada fora de Santa Catarina, a tainha é um peixe de sabor intenso, marcante, que se presta a várias formas de preparo: grelhada, assada, ensopada, frita ou no vapor. Todo catarinense tem uma forma especial de preparar a tainha, e nós solicitamos ao Chef Fabiano Caldeira, do restaurante Casarão do canto sul da Praia do Rosa, que compartilhasse a dele.

Leia mais...

As famosas sardinhas “millésimes”

A cada ano, as grandes indústrias de enlatados francesas, como La Perle des Dieux, lançam uma série limitada de sardinhas chamadas “millésimes” em latas lindamente ilustradas, como a da figura acima. E "millésime", como no caso do vinho, indica o ano em que as sardinhas foram capturadas, e assim como os vinhos, somente produtos muito superiores são "millésimés". Os que compram estas sardinhas têm o objetivo claro de transgredir todas as regras sanitárias e esperar de seis a dez anos após a data de fabricação para consumí-las, muito além do prazo de validade indicado na lata. Para que esperar tanto? Segundo os especialistas, para que as texturas e aromas se intensifiquem, transformando o produto em algo absolutamente divino. E o que faz uma lata de sardinha ser classificada como "millésime" é tanto a época de captura da sardinha quanto o processo de fabricação.

Leia mais...

Como combinar frutos do mar e vinho

Fonte: fishonfriday.org.uk

Existem tantas possibilidades tentadoras para harmonizar frutos do mar e vinho que às vezes é difícil saber por onde começar. No entanto, com alguns princípios úteis em mente, encontrar o par perfeito torna-se muito mais fácil. Veja um resumo das dicas preparadas pela especialista inglesa Lucy Bridgers:

1. Vinho e frutos do mar devem ser parceiros - não permita que um domine o outro. Tradicionalmente vinhos brancos eram vistos como os parceiros ideais por não dominarem o sabor mais delicado do peixe. Mas se as receitas incluem sabores mediterrâneos e especiarias, seja ousado e experimente outras opções;

Leia mais...

Projeto de lei ajudará você a não comprar água com preço de peixe

Fonte: Seafood Brasil

As fraudes por glaciamento são uma questão importante para o setores da pesca e aquicultura, pois afetam a credibilidade dos produtos, geram desconfiança no consumidor e perda da competitividade da cadeia produtiva. Para tentar evitar este problema, o Projeto de Lei 3988/12, do deputado federal Celso Maldaner (PMDB-SC), está tramitando na Câmara dos Deputados. A proposta deve mudar a forma como a venda de pescado congelado é feita no país. Segundo o projeto, as embalagens de pescados (peixe, molusco ou crustáceo) deverão trazer a informação obrigatória do peso bruto do pescado e do peso sem o gelo, ou seja, "desglaciado".

Leia mais...

As cinco regras de ouro para assar um peixe na brasa

1. Acenda o fogo cedo – espere até ter um lindo braseiro antes de colocar o peixe;

2. Pré-aqueça a grelha - ela deve estar realmente quente. Assim, ela sela a pele e a carne do peixe quase que imediatamente. Um fogo lento só aumenta as tendências adesivas da pele do peixe. Aquecer a grelha por uns dez minutos antes de colocar o peixe deve bastar;

3. Unte o peixe – é preciso untar o peixe, nunca a grelha. Seus dedos são a melhor ferramenta para realizar este trabalho. Você pode fazer um molho à base de óleo (oliva, girassol, etc) e massagear o peixe com ele. Não se esqueça de secar o peixe antes. Não coloque óleo demais, pois se pingar no fogo as chamas vão se animar e engolir seu peixe;

4. Não mexa no peixe cedo demais – uma vez que você colocou no fogo seu belo peixe levemente untado sobre a grelha, deixe-o lá. Vai demorar alguns bons minutos para que a grelha sele a pele e a carne do peixe no ponto em que ele pode ser virado. Então, mesmo que você não goste do ângulo em que o peixe ficou, ou ache que se empurrar um pouquinho mais pro lado vai ter mais espaço pro próximo peixe, resista! Deixe-o exatamente no mesmo lugar até que ele esteja pronto para ser virado;

Leia mais...

Mais Artigos...